sábado, 24 de outubro de 2009

Construindo seres humanos

Neste livro podemos adquirir os conhecimentos necessários para a educação de nossos filhos e alunos,  criando as possibilidades necessárias para o desenvolvimento e produção do seu próprio conhecimento. Aprendemos a nos humanizar. 
Os jovens estão vivendo enclausurados dentro de si mesmos, professores e alunos convivem por anos, mas são estranhos uns para os outros. Aprendemos a fazer cálculos, mas não a lidar com fatos do cotidiano. Os adultos querem dar o melhor para suas crianças, mas no entanto não deixam elas terem suas próprias experiências. 
A juventude sofre diversos distúrbios de ansiedade como timidez, depressão, estresse, se tornam usuários de drogas, nós devemos procurar soluções e conhecer o funcionamento da mente para podermos mudar alguns aspectos da educação. Nós seres humanos registramos em nossa memória involuntariamente, através do fenômeno RAM (Registro Automático da Memória) imagens, sons, pensamentos, reações emocionais e etc. Aproveitando-se desse fato, devemos compartilhar nossas experiências e emoções para criar vínculos profundos e sólidos, pois as crianças estão registrando em suas memórias nossas atitudes, somos como um espelho para elas, por isso temos que tomar cuidado com o que estamos refletindo.
Temos que estar cientes de que “não há homogeneidade no processo de aprender e no desenvolvimento das crianças” (Vigotsky, 1987), devemos respeitar os limites, o tempo de cada criança. Cada ser tem sua própria identidade e a individualidade é o seu alicerce, porém os pais devem cruzar suas histórias com a de seus filhos para combater o individualismo, deixando que eles se aproximem do seu mundo, mostrando-se humano.
Alimente a inteligência dos seus filhos, faça eles terem uma visão crítica dos comerciais, da mídia, do que o mundo está passando para eles. Converse com seus filhos. A educação fala sobre o mundo que estamos, mas não sobre o mundo que somos, tudo que é arquivado por nossos filhos definirá e controlará suas respectivas personalidades. Não sejamos frágeis diante dos nossos filhos, devemos mostrar força, combater os pensamentos negativos para não serem registrados.
Educar não é repetir palavras, é criar ideias, é encantar por isso não adianta ficar dando as mesmas broncas, estará sendo repetitivo faça eles refletirem sobre seus atos. Cada criança é um mundo a ser explorado, elas não tem manuais de instruções, manuais de regras, não são como eletrodomésticos. Devemos surpreendê-los, falar-lhes ao coração, estimulá-los a fazer de cada lágrima uma oportunidade de crescimento, ensiná-los a pensar.
Ensiná-los a lidar com os insucessos, não somente com o sucesso, explicar que não há vitória sem obstáculos, ensine-os a reconhecer suas falhas e a ter paciência para suportar um “não”. Seja modelo de vida para seus filhos, não tenha medo de falar de suas frustrações, pois vencer não é acertar sempre. Ensine-os a enfrentar os desafios sem se intimidar com as dificuldades para que o fenômeno RAM não registre experiências que financiarão o sentimento de incapacidade, destruindo a auto-estima, resultando num envelhecimento emocional precoce.
Mostre a felicidade que pode ser encontrada nas pequenas coisas, como no desabrochar de uma flor, no abraço de um amigo, no movimento das nuvens. Se na glória ou no fracasso eles souberem contemplar a beleza nas flores da primavera e nas folhas secas do inverno serão felizes. Esse é um dos grandes desafios da educação da emoção.
Estimule os seus filhos e alunos a vencer seus temores, nunca desista deles, jamais perca a esperança de que eles se tornaram um grandes seres humanos. Se eles não aprenderem contigo, a vida os ensinará e transformará cada um em seres mais maduros e experientes. Procure enxergar o tesouro soterrado nas rústicas pedras do coração deles.
Aprenda a dizer “não” quando necessário sem medo, hoje em dia os jovens dominam os adultos, são autoritários, querem que seus desejos sejam imediatamente atendidos mas no ambiente social eles não terão chance de sobreviver porque estarão despreparados para ouvir um “não”.
Pais e professores precisam se unir para educar e procurar conhecer o funcionamento da mente para saber como se aproximar dos alunos.
Transformar o conhecimento teórico em prática, pois assim a memória registrará com eficácia. Os alunos precisam de novos estímulos, por isso é necessário novas técnicas para atrair a atenção e concentração, como por exemplo sentar em círculo ou em U para o clima na sala de aula ficar mais agradável e criar interação social, ouvir música pode gerar prazer na aprendizagem, provocar a inteligência fazendo perguntas, discutindo a matéria, estimulando a curiosidade. "O conhecimento pronto estanca o saber e a dúvida provoca a inteligência "(Vigotsky, 1987).
Assimilar a matéria com fatos do cotidiano, do meio que os alunos vivem, humanizando o conhecimento, incentivá-los a se comprometer com projetos sociais para acabar com o individualismo, egoísmo e dominação sobre o outro. Usar a sensibilidade com os alunos para manter uma proximidade, diante das bagunças não deixe as atitudes impensadas deles roubar sua tranquilidade, tente compreendê-los. Não os corrija publicamente, pois isso pode gerar o medo de expor as ideias e traumas que serão carregados por toda vida. O professor deve conquistar sua autoridade com inteligência e amor e nunca desistir de nenhum aluno por qualquer motivo, os alunos mais desconcentrados e desordeiros são os que mais precisam de nossa ajuda e com certeza se conseguirmos nos aproximar e educar esses alunos será muito gratificante para nós e muito mais para eles.
Esse livro é simplesmente um manual de como ser humano e como lidar com os fatos que envolve o ensino-aprendizagem não só dentro de uma sala de aula, mas também na escola da vida. Um manual de como manifestar amor ao próximo e a si mesmo.

Referências:
 Pais brilhantes, professores fascinantes. CURY, Augusto Jorge. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

Link para download do e-book:
http://www.4shared.com/file/136687005/2555e260/Pais_Brilhantes_Professores_Fascinantes_-_CURY_Augusto.html

Prática de Ensino e Formação de Professores - Resumo para Atividade Complementar

12 comentários:

  1. MAIS UMA VEZ UMA ÓTIMA POSTAGEM... VOU BAIXAR COM CERTEZA..

    ABRAÇOS..

    ResponderExcluir
  2. Eu li esse livro muito bom...

    Nos faz pensar muito sobre nossas atitudes na educação!! Parabéns

    Obrigada amiga pela visitinha e também pelo lindo comentário...adorei!!!!!

    Seu cantinho tbm é lindo e cheio de postagens interessantes...

    Um ótimo fim de semana pra você..bjoks

    ResponderExcluir
  3. Olá.
    Obrigado querida por compartilhar sua história no blog rs. É verdade, o setor de vendas é assim mesmo como disse, mas se não fosse assim, como poderia ser? hehehe
    Em relação ao seu post, o livro é ótimo msmo.
    Já tive a oportunidade de ler.
    Li um pouco do seu perfil, e admiro profissionais de Pedagogia! Muito sucesso pra você viu? Visite-me quando quizer. Abraços.
    [www.obigboss.com]

    ResponderExcluir
  4. Lu,

    Os livro do Augusto Cury sempre nos faz rever nossas atitudes, passamos a ver tudo com outros olhos. Tb adoro suas visitas, bjos *)


    Marcelo,

    Não foi nada rsrsrs em relação ao setor de vendas... acho que eles poderiam respeitar a vontade e decisão alheia rsrsrs
    Obrigada e volte sempre...bjos!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, amo os livros do augusto Cury. O último que eu li foi: nunca desista dos seus sonhos...recomendo!!ess tbm ñ fica atrás, muito bom para os pais ou até mesmo pra quem não tem filhos ainda...nunca é tarde pra começar hehehetemos que pensar que um dia vão ter pessoas dependendo de nós literalmente, que vamos ter que servir de espelho pra elas..ñ é só ler um livro e sim juntar as dicas dele com nosso modo de vida!!
    Muito bom o texto..parabéns cátia e obrigada por comentar no meu blog!!!

    ResponderExcluir
  6. Eu já li: O vendedor de Sonhos e Você é Insubstituível... Pais brilhantes, professores fascinantes serve para GENTE independente de ter filhos ou não, pois até nós mesmos como filhos (as) podemos identificar passsagens da nossa vida, atitudes e emoções que vivemos e não soubemos como lidar.

    Obrigada! Foi um prazer rsrsrs

    ResponderExcluir
  7. Maravilha o seu cantinho.
    Na intenção de divulgar o meu trabalho, cheguei até você.
    Gostei muito do seu espaço. Eu não estou podendo ler tudo de uma vez porque a tela do computador atrapalha um pouco a minha visão, mas certamente voltarei mais vezes. O meu oftamologista pediu que desse um tempo da telinha... e eu sou fraca ?
    O meu território já está demarcado.
    Convido a dar uma espiada em "FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER.." ( o seu cantinho de leitura), em:
    http://www.silnunesprof.blogspot.com
    Terei sempre uma história para contar.
    Saudações Florestais !

    ResponderExcluir
  8. Obrigada!Volte sim... melhoras para vc... bjos

    ResponderExcluir
  9. Muito obrigada pela visita e por suas palavras tão carinhosas. Sim, sou professora de português e radialista ( embora seja muito tímida rs). Volte maos vezes, FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... terá sempre uma história para te contar.
    Beijo grande,
    Saudações Florestais !

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem vindo! Comente, opine, se expresse! Este espaço é seu! Prometo responder você assim que possível...
Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre!

"Não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes". (Paulo Freire)